sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Chegar ao fim de mais um ano e olhar pra trás

Olhar pelo retrovisor e ver o ano que ficou pra trás tem sido muito gratificante.
Merecida e particularmente, 2012 foi um ano espetacular. 
Eu diria, talvez, que foi o melhor ano dos últimos tempos.
Seria egoísmo da minha parte se eu não tirasse um pequeno tempo desse espaço de dias incríveis para reconhecer e agradecer.

Devo confessar que de início, eu não apostei nenhuma das minhas fichas nos dias que estavam por vir. Achei que apenas os viveria, à espera de que as coisas melhorassem feito mágica (e isso é algo que sinceramente, eu quero esquecer). 
E não deu outra. Literalmente feito mágica, ou obra de alguma força maior, rapidamente tudo foi se acertando e finalmente, a felicidade foi surgindo a cada dia que se passava.

2012 trouxe consigo sentimentos que eu nunca havia experimentado e experiências que eu nunca havia vivenciado. 
Me ver "sozinha" diante de uma vida a ser vencida na cidade grande, não pareceu nada assustador. Ao contrário, se eu tivesse que definir 2012 em apenas uma palavra, talvez eu dissesse "liberdade". E quando digo isso, não me refiro apenas à liberdade de sair de casa quando quiser e voltar quando bem entender, sabendo que eu devia responsabilidade apenas à mim mesma.
O mais incrível de tudo foi viver a liberdade de finalmente levar a minha vida da forma que eu bem entendesse, sem que outras pessoas "vivessem por mim", determinando o que eu deveria fazer ou deixar de ser feito. Tudo isso me renovou de uma forma que eu não sei colocar em palavras e me deu uma injeção de ânimo incrível para seguir em frente.

Em meio à história toda essa história de liberdade, veio alguém com quem eu pude experimentar o gostinho de companheirismo, de dedicação, de cuidar e ser cuidada. A esse alguém, eu devo os meus sinceros agradecimentos por não me deixar sozinha em nenhum momento desse ano e por me proporcionar momentos incríveis, desde os mais simples, como passar um fim de semana inteiro jogando The Sims, até passar um fim de semana em um evento dos Beatles ou um feriado em um acampamento de rock. (Aliás, eu não poderia deixar de agradecer também pela injeção de rock no meu gosto musical.)

Outro fato que eu não poderia deixar passar em branco foi amadurecimento da minha relação familiar. Hoje eu sinto com maior intensidade a importância que a minha mãe tem na minha vida e o quanto eu devo a ela tudo que eu tenho e onde eu consegui chegar. E reforço cada vez mais a ideia de que luto com todas as minhas forças para que eu possa ser alguém na vida e dar a ela não só orgulho, mas também conforto como retribuição de tudo que ela é e faz por mim.

Olhando pelo lado acadêmico e profissional, eu não poderia terminar esse ano mais satisfeita. Publicidade e Propaganda é a minha vida e definitivamente, sou muito feliz por ter caído de paraquedas nesse mundo. E quanto ao meu emprego, eu agradeço todos os dias, pois não poderia encontrar lugar melhor. Pessoas sensacionais à minha volta, um lugar onde me sinto em casa, além de todo crescimento que tive nesse tempo. Me tornei, sem dúvida, uma puxa saco da empresa e todos os dias sei o que é trabalhar com gosto.

Mas infelizmente, nem só de maravilhas é feito o mundo, né? É preciso também pontuar os erros, os desafios, as dificuldades e as decepções e saber reconhecê-los; e ainda mais, transformá-los em aprendizado. E 2012 foi cheio deles todos. Mas como a sorte estava do meu lado, tive sabedoria o suficiente para reconhecer, pedir perdão quando foi preciso, saber voltar a trás, e entender que aquilo não deveria mais ser feito, ou que poderia ter sido diferente. E assim, chego ao final com a consciência tranquila de que fiz tudo que estava ao meu alcance para ser uma pessoa melhor, e assim me tornei comigo mesma.

2012 levou de mim pessoas das quais eu tinha a certeza que eu não conseguiria viver sem. Sobrevivi.
2012 me distanciou de pessoas das quais eu insistia em ter por perto, mas que não tinham esse mesmo sentimento por mim. Sobrevivi.
2012 me trouxe pessoas incríveis, as quais eu quero ter perto por muitos anos ainda. Agradeci.

Esse ano, eu troquei o "pedir" pelo "agradecer", agradecer por ter terminado esse ano completamente diferente de como foi há um ano atrás.
E estou de braços abertos para 2013, fazendo figuinha para que toda essa vibe boa de 2012 venha junto dos próximos 365 dias que estão por vir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário